Prepare-se

Tempestades muito maiores virão, é isso que ando pensando. Não acaba assim, aqui, agora, nessa minha confusão. O que vem, simplesmente está vindo, é como um fluxo natural, e você nem precisa fumar maconha para entender dessas coisas, por mais que a gente tenha que se permitir sair um pouco de si para entender e, principalmente, aceitar. Mas, se eu não tiver força agora, quando terei? Não é essa a moral da vida? Aguentar, aguentar, aguentar… Estou tentando esses caminhos calmos e tranquilos que as pessoas tanto falam. Não por ser bonito ou caber em poesias, mas porque eu cansei das palavras trancarem a garganta. Essas são as minhas tentativas de ser melhor, quem nunca pecou com boas intenções? Viver mais para dentro, menos para fora. Pode ser que funcione. Quero deixar para trás a minha eterna mania de sempre desistir e ficar sempre pelo caminho (ou sem ele), mas essa página ainda vai precisar de muitas outras rasgadas para ser virada. E as outras tantas que insisto em rabiscar por cima vão ficando… Um dia deixo todas, troco o livro, mudo a estante de lugar. Mudo até de casa, quem sabe. O que importa mesmo é que as tempestades virão, quase como um mantra, mas não para assustar, e, sim, para preparar. Estou procurando um abrigo. Dessa vez, em mim. Dessa vez, para mim.
— Camila Costa.

0 comentários:

Postar um comentário