Colorido

Eu sabia que entraria numa enrascada quando te conheci. Enrascada para a minha inacessibilidade em ser otimista.
Me desconheci com você. Não senti insegurança, desconfiança, inquietação, incerteza ou receio. Os meus sentimentos não me dividiram entre sentir e pensar e pude, finalmente, conciliar os dois. De forma harmônica. Amém.
O seu apartamento é um santuário, um mundinho paralelo que proíbe qualquer problema ou tristeza de entrar e substituir a atmosfera pacífica por qualquer perturbação. Sua presença me basta para eu sentir o amor que tanto maldisse e simplificar qualquer problema que eu insisto em deixar maior.
Seu olhar terno me acalma, seu sorriso me embriaga e por mais que eu o veja com frequência, ele ainda tira meu fôlego e me satisfaz por eu ter seu perfume grudado na minha pele e o seu colo como divã em divagações que se prolongam por horas. Sua voz sussurrada em tantas noites me inebriam e eu oro agradecendo para qualquer deus, força ou energia por te ter aqui do meu lado, um acaso tão preciso.
Agradeço por te ter. Por nos termos. Em meios a tantos problemas, confusões e infortúnios, você me amou e me fez entrar em paz comigo mesma. Em meio a tantos poréns, você me aceitou assim, confusa, meândrica, complicada. Em meio a tantos desabafos em preto e branco, dedico essa confissão – e dessa vez colorida – a você. Por deixar a minha vida menos cinza e mostrar que, talvez, nem tudo precisa ser tão complicado.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top